Crônica de Natal

Não consegui ainda me desvencilhar da síndrome do ninho vazio

Todo ano meu sentimento é o mesmo: não deixar que a melancolia e a sensação de vazio pelas ausências físicas ou espirituais das pessoas que amo não interfiram no espírito de Natal que sempre preciso superar nessa data tão importante do cristianismo. / Não consegui ainda me desvencilhar da síndrome do ninho vazio. Sinto saudades do tempo quando meus os filhos eram crianças, mas fico feliz em saber que hoje, adultos e que são felizes.

Mas também é nessa época do ano que agradeço a Deus e a Jesus Cristo, seu filho, por eles me darem a benção em ter continuidade do amor a todos meus entes queridos. / Sempre peço a eles que confortem os que não tem família abandonados por elas ruas e asilos, ou que morem longe e a saudade só pode ser reduzida durante os encontros virtuais.

Que todos (as) tenham um Feliz Natal.


(*) Joel Cardoso é jornalista e escritor

Advertisement
Advertisement