fenômeno

Akino

‘O fenômeno Ricardo Barros’

Ao comentar a morte de Ademar Schiavone, emocionado, no programa de apresenta com o competente jornalista Luiz Fernando Cardoso e o advogado Flávio Mantovani, Milton Ravagnani lembrou da eleição da prefeito de 1988 e a disputa entre o Ademar e João Preis, onde, por erro da campanha do primeiro, acabaram ambos derrotados, fazendo surgir, nas palavras do Milton, o ‘fenômeno Ricardo Barros’.
Pensei, pensei, pensei…. Será que ele considera Eduardo Cunha um fenônemo? Maluf, Renan Calheiros, Romero Jucá e outros baluartes da política nacional seriam fenomenais, no mesmo sentido? Continue lendo ›

Akino

Um fenômeno

É impressionante como um certo político consegue exercer tantos cargos ao mesmo tempo: prefeito, secretário municipal, vereador, presidente da câmara, deputado federal, presidente de partido, consultor, coordenador de campanhas, pretendia ser presidente da Fiep, e ainda tem tempo para cuidar dos negócios ‘mais particulares’, privados, já que trata os públicos como privados, e nas horas vagas exercer o cargo de secretário estadual de Beto Richa. Merece estar no Guinness Book. Um fenômeno. Seu dia dever ter 48 horas.
Akino Maringá, colaborador