rolezinhos

Opinião

O preço da democracia

De José Luiz Boromelo:
rolezinhoO Brasil se mostra cada vez mais o país dos modismos passageiros. É só alguém surgir com alguma mania qualquer, postar na Internet e pronto: o vídeo acaba “bombando”, com centenas de milhares de acessos. Nossos internautas não são nada exigentes, conferindo compartilhamentos e outras baboseiras a coisas que nada têm a ver com a índole desse povo naturalmente ordeiro e trabalhador. Felizmente aquilo que não carrega conteúdo logo cai no esquecimento e por aqui não é diferente. Quem não se lembra das ridículas “pulseiras coloridas do sexo” que deixaram muitos pais de adolescentes de cabelos em pé, ou da insípida “dança da raposa” ou ainda do excêntrico saltitante Psy? Num passe de mágica todos se foram como chegaram e não deixaram saudades. A moda do momento agora é o “rolezinho”, uma nova modalidade de “diversão” praticada por jovens e adolescentes.Continue lendo ›

Comportamento

Rolezinhos marcados em Maringá e Londrina não aconteceram

Os rolezinhos marcados ontem para os shopping Maringá Park/Aspen Park, em Maringá, e Catuaí, em Londrina, não aconteceram. Eles foram programados no Facebook; o de Londrina tinha mais de 1.500 pessoas confirmadas, e o de Maringá, 542. No Catuaí, a segurança foi reforçada mas nenhum grupo de adolescentes apareceu no local. No Maringá Park/Aspen Park, algumas pessoas estiveram antes na praça da Catedral, de onde o grupo sairia em direção ao shopping, mas também não foi possível realizar o evento. Um dos organizadores, Henrique Fervença, agradeceu aos que estiveram na catedral e deixou no ar a possibilidade de remarcar o evento: “Foi bom estar com pessoas maravilhosas e discutirmos um pouco mais sobre o assunto. Aguardem novas informações. Abraço fraterno!”.